Meu negócio – Como o P2P lending está revolucionando o crédito para as empresas

Meu negócio – Como o P2P lending está revolucionando o crédito para as empresas

Uma nova opção de crédito para empresas, o P2P lending chegou no mercado na hora certa. Os desafios econômicos trazidos pela crise sanitária da Covid-19 desde o início do ano passado impactaram fortemente a operação das empresas, especialmente as de pequeno e médio porte. 

Segundo o SIMPI (Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo), apenas uma em cada três empresas funcionou normalmente em abril deste ano. O motivo principal foi a segunda onda da pandemia, que novamente levou estados e municípios a adotarem regras mais rígidas de distanciamento social, inclusive decretando o fechamento – ou funcionamento com horários reduzidos – do comércio. Em entrevista à CNN em 24 de maio, o presidente da SIMPI, Joseph Couri, destacou que a situação atual demonstra “um aprofundamento da crise, a diminuição do número de trabalhadores e, o mais grave, a destruição do mercado interno”. 

Por sua vez, um levantamento da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes ) mostra que 76% dos estabelecimentos têm dívidas em atraso. E uma das principais reclamações dos empresários é a falta de acesso a crédito e financiamentos, devido a custos e exagerada burocracia. Apesar de o governo ter sinalizado que criará novas linhas de empréstimos para empresas, a demora na aprovação de iniciativas como a nova fase do Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) – atualmente em fase de aprovação – não ajuda na situação.

Tecnologia chega como resposta

Para se manterem funcionando ou até expandirem os negócios, as PMEs já recorrem a fintechs para conseguirem crédito. Novidade no mercado, essas empresas utilizam tecnologia para derrubar barreiras burocráticas e chegam com modelos de empréstimo baseados na economia compartilhada, gerando valor a toda a cadeia produtiva e criando opções vantajosas tanto para os tomadores de crédito quanto para investidores e as próprias techs.

A MoneyMoney Invest é um exemplo desse tipo de startup. Com a modalidade P2P lending, oferece empréstimos para empresas com juros mais atraentes do que os oferecidos pelas tradicionais instituições financeiras e com um sistema totalmente online, mais rápido e simples para as empresas.

Concessionária de motocicletas de médio porte, a Dede Motos é uma empresa que sentiu a diferença de captar via P2P lending com a Money Money. Segundo Marcos Nogueira, responsável financeiro da concessionária de motocicletas Dede Motos, entre maio e dezembro de 2020 a empresa enfrentou grandes desafios e, naturalmente, procurou os bancos para abastecer o capital de giro da empresa, aumentar o estoque e expandir os negócios, criando condições para passar por esse momento com mais tranquilidade. 

“Cotamos empréstimos com os principais bancos dentro das nossas condições financeiras, em relação a juros e a prazo. Encontramos juros muito altos , burocracia extrema, mesmo já sendo cliente na instituição, e prazos reduzidos para pagamento, além de muito tempo para efetivar o crédito em conta”, destaca. 

Sediada em Ribeirão Preto, a Dede Motos recorreu, então, à modalidade P2P lending, por meio da plataforma da MoneyMoney Invest. E, segundo o Nogueira, não se arrependeu: “O atendimento foi espetacular, com fácil relacionamento, clareza na proposta e juros dentro da média do mercado atual, porém com possibilidades de negociações”

Outra beneficiada por essa modalidade diferenciada de empréstimo para empresas foi a FibraMais Estofados, localizada na cidade de Ubá, em Minas Gerais. Para eles, por conta da Covid-19, os fornecedores de matérias-primas passaram a dar menos prazo para pagamento. Pensando em expandir e ter uma negociação mais confortável com os fornecedores, a empresa buscou crédito com os bancos, mas mesmo sendo de grande porte e com 18 anos de mercado, encontrou barreiras, conforme contou Rodolfo Marques, responsável pela empresa. 

“Os valores de captação oferecidos pelos bancos estavam longe da nossa demanda e, com a demora para retorno, decidimos parar as negociações”, afirmou ele, que também teve sucesso na captação com a Money Money. “Ficamos muito satisfeitos com o atendimento, a agilidade nos processos e taxas competitivas que encontramos”, destaca Rodolfo.

Apoio para a economia real

Ao facilitar o acesso ao crédito, a Money Money Invest faz a sua parte para criar condições para uma retomada mais rápida da economia real, da qual fazem parte as empresas que estão mais próximas da gente no dia a dia, como padarias, bares e até uma concessionária de motocicletas, gerando empregos e valor para o país. 

“Nossa missão é criar oportunidade de crescimento para as empresas e uma opção atraente para quem quer investir de forma diversificada com possibilidade de alta rentabilidade e exposição controlada ao risco. Ao criarmos essa ponte, todos os lados ganham”, afirma Marcos Travassos, CEO da MoneyMoney Invest.

Quer saber como funciona o sistema de captação da MoneyMoney? Confira neste texto!

CompartilheFacebookTwitter
Entre na conversa

Comentários